segunda-feira, 2 de junho de 2008

Bandeiras e Escudos I - Estados e suas Culturas Políticas

Eu gosto de pensar que no Brasil, singularmente, ser "multicultural" faz parte da identidade cultural das pessoas daqui. E gosto também de ver como o país é composto de regiões que são em tudo completamente distintas entre si, apesar de estarem muito bem acomodadas sob uma unidade política (Enquanto na Europa os pequenos recantos com uma certa especificidade cultural ou lingüística ainda fazem guerras civis pra serem politicamente autônomos).

Algo que eu estava pensando nesta linha é que, a despeito da unidade política do Brasil, certas regiões, estados e cidades mantém um cultivo bastante vivo de sua própria história, inclusive de sua própria história política. É uma das vantagens de uma República Federativa: a União e os Estados são instituições independentes - embora mantenham entre si alguma hierarquia.

Eu estava olhando especificamente para as bandeiras e escudos dos estados. É engraçado que muitos dos estados mantém como seus símbolos aquilo que foram símbolos de revoluções políticas emancipacionistas daquelas regiões!! Por exemplo:
- A bandeira de Pernambuco é, a menos de duas estrelas, a bandeira da Revolução Pernambucana de 1817. No escudo do estado de Pernambuco, aparecem as "datas importantes para o Estado": 1710 (Guerra dos Mascates) - 1817 (Revolução Pernambucana) - 1817 (Revolução Pernambucana) - 1824 (Confederação do Equador) - 1889 (Proclamação da República). Com exceção da última, todas as tentativas de Pernambuco fazer um estado no norte independente de Portugal ou do resto do Brasil.

- A bandeira e a capital da Paraíba (à esquerda) são ainda o luto pela morte do candidato à vice-presidência na confusão de 1930. Mas há um certo movimento para encerrrar o luto e retomar a bandeira antiga (à direita).



- A bandeira da Bahia (à esquerda) é um desenho de inspiração norte-americana e maçônica da época da proclamação da república, mas também uma retomada das cores e das inspiraçoes da bandeira da Conjuração Baiana de 1789 (à direita).



- A bandeira de Minas Gerais era para ser a bandeira nacional, segundo o projeto dos Inconfidentes Mineiros. O brasão consegue ser ainda mais maçônico.


- A bandeira de São Paulo foi uma das candidatas a bandeira nacional quando da Proclamação da República, proposta por um jornalista paulistano; depois se tornou a bandeira dos Revolucionários de 32, e depois assumida como a bandeira do estado. Já o brasão foi criado novo pela Revolução Constitucionalista.

- A bandeira do Rio Grande do Sul, por fim, como não poderia deixar de ser, é a bandeira dos Farroupilhas. O brasão do estado até hoje carrega escrito o título de "República Rio-Grandense" (o.O) e a data de independência: 20 de outubro de 1835.


(A bandeira de Santa Catarina infelizmente não é uma referência à República Juliana nem ao Contestado :( )

De resto, são bandeiras que eu considero um pouco sem graça (quase todas têm estrelas e faixas horizontais estilo bandeira dos EUA, elementos com cores verde e amarelo, etc). Engraçado que a bandeira do Estado do Rio de Janeiro não tem nenhuma história relevante por trás; os símbolos das cidade e das instituições da cidade são muito mais carregados de história. E a bandeira e o escudo de Brasília, na sua simplicidade e nas curvas ousadas, são bem marcantes da idéia do que deve ser aquela cidade: moderna, funcional, sem história, mas um palco bonito e organizado para o exercício da política nacional.



Afora as bandeiras sem criatividade que são variações da bandeira brasileira, a bandeira do Distrito Federal é a única que aponta para a união política do país. No entanto, não há grupos nestes estados ainda cultivam valores emancipacionistas (talvez alguns Recifenses, rs). Porque brasileiros não têm problema em se identificar como brasileiros e outras coisas (e. g. brasileiro de terra e registros oficiais, italiano de sangue, gaúcho de coração). As múltiplas identidades não serão um problema em uma nação cuja identidade é inseparável, expressamente, de diversidade.

Um comentário:

Laís disse...

Nossa, aqui tem mais coisas do q o q eu tinha q saber pra minha prova de historia! Coisas legais! nao sabia de metade disso.
Realmente, o Brasil é um único país, mas onde temos diferenças mto grande entre os seus estados, as vezes parece até q falamos idiomas diferentes.
Belo estudo de bandeiras e escudos.